Um pouco de poesialização da realidade

28/04/2011 § Deixe um comentário

O peso, o preço e o Corpo

(José Agostinho Correia Junior)


O peso de carregar as demandas da sociedade adoece, cansa o indivíduo.
O peso da exclusão dói, esmaga…
O preço que se paga pelo que não se tem é alto
O preço que se paga pelo direito à vida é caro.
O corpo mutilado pela vida e pelo cansaço, grita
O corpo atirado no chão agoniza
O ouro que tanto se busca nada vale
O suor e o trabalho vale muito
O ouro que inclui, também exclui
O ouro que brilha, também mostra a escuridão
O corpo que é dócil, maltrata a si mesmo
A sociedade que o produz, também o renega…
Afinal, é só mais um corpo que precisa viver, produzir e morrer…
Esse corpo pode criar
Pode resistir
Pode intervir
E se inventar

Anúncios

Marcado:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Um pouco de poesialização da realidade no Judicialização da Vida.

Meta

%d blogueiros gostam disto: